TELEFONE (11) 3666-9893 - Atendimento: 9:00 às 17:00

Parceiros

“A importância e responsabilidade do papel do instrutor na vida profissional do vigilante.”Postado em: 8 de agosto de 2019

Este artigo visa proporcionar uma visão mais ampla na relação entre ambos.

De acordo com os dados estatísticos de 2018 da (CGCSP/PF), o número de vigilantes formados no mercado são 2.622.000 e ativos no mesmo ano são 542.000 no Brasil. Este departamento atua como órgão controle e fiscalizador, o qual regula e normatiza toda a atividade de segurança privada no País.

Para compreender melhor a importância do papel do Instrutor na formação do Vigilante, elencamos abaixo componentes necessários para o seu autodesenvolvimento e aprimoramento, levando ao mesmo tempo a uma profunda reflexão e a avaliação do cenário atual.

  •  Formação: Se faz necessário a busca constante do conhecimento pelo instrutor. Agregando-se a isso, valores essenciais a sua autoformação ou complementação, como, graduações específicas, pós graduação, mestrado e até mesmo doutorado na área.

 

  • Cursos técnicos: De pequena duração, com a finalidade de proporcionar formação técnica para o mercado de trabalho.

 

  • Network: Participação em palestras; seminários; eventos; congressos; como também em workshops; os quais ocorrem em determinados períodos do ano, em parceria com associações de segurança pública e privada, buscando quantificar e aferir a qualidade do profissional atuante. Estes componentes visam aperfeiçoamento e inovação.

 

  • Histórico Profissional: Levando em conta as suas experiências dentro do campo de atuação, tanto no setor público, quanto no privado, cabe ressaltar os princípios da Andragogia, (“Arte e Ciência de ensinar adultos”), referente uma metodologia diferente, na fase adulta, onde o homem aprende por necessidade e para sua própria sobrevivência. Ele encara o papel de protagonista no processo de aprendizagem.

Com isso, o Instrutor desempenha um papel importante neste tipo de metodologia, orientando e proporcionando uma didática desafiadora, que leva em consideração as experiências vividas e o conhecimento já adquiridos que eles trazem.

  • Ética Profissional: Na área cognitiva, enfatizamos acima os componentes necessários, porém, é importante salientar a postura e imagem do Instrutor como referência no seu papel formador e transformador. Para uma conduta idônea e ilibada, a sua fala precisa estar alinhada as suas ações.

Os componentes elencados, visam um conjunto de valores adquiridos e necessários para a atuação do instrutor, no curso de formação de profissionais de segurança (Vigilante).

 

Seu objetivo primordial é o foco nos conhecimentos técnicos, além de contribuir paralelamente no papel de transformar pessoas e qualificar profissionais para o mercado de trabalho, inserindo assim melhores cidadãos para a sociedade.

Dentro de uma visão ampla, podemos observar que ambos estão relacionados, onde o papel do Instrutor é formador, transformador e multiplicador.

 

Cabe ressaltar, os valores e importância da responsabilidade perante a sociedade.

Um dos bens mais valiosos e significativos; é bom lembrarmos que é a “Educação”, antes de formar profissionais, forma a pessoa”.

 

Thiago Bruno Miguel
Centro de formação Corvig Barueri SP
Instrutor de Segurança e VSPP