TELEFONE (11) 3666-9893 - Atendimento: 9:00 às 17:00

Parceiros

Aplicativo alerta em casos de rompimento, enchentes e incêndiosPostado em: 22 de julho de 2021

população de Minas Gerais pode contar com um novo recurso para se prevenir dos desmoronamentos na região. Nesta quarta-feira (14), foi lançado um aplicativo que reúne informações de segurança de barragens de mineração e de hidrelétricas.

Com o nome de Prox, o app tem como objetivo dar conhecimento às comunidades do entorno sobre a situação das estruturas. Através de um canal de interação entre empresas, gestores municipais, bombeiros, profissionais da defesa civil e moradores das comunidades, o aplicativo tem como uma de suas funções a emissão de alertas em casos de rompimento, de enchentes e de incêndios. 

A ferramenta foi criada em parceria pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), estatal mineira do setor energético, e pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), entidade que representa as maiores mineradoras que atuam no país.

Segundo Paulo Mota Henriques, diretor de geração e transmissão da Cemig, o aplicativo funciona de forma colaborativa e permite a troca de dados em tempo real, promovendo a autoproteção e subsidiando políticas públicas voltadas para o fortalecimento do sistema de defesa civil.

Com isso, o aplicativo se torna mais uma tecnologia que busca contribuir para evitar tragédias, ainda mais que sem declaração de estabilidade válida, 43 barragens estão interditadas no Brasil pela Agência Nacional de Mineração (ANM), sendo 36 em Minas Gerais.

Atualmente, há no país três barragens em nível 3 de emergência, que significa risco iminente de ruptura. Mônica Dietrich, superintendente de gestão do risco de desastres da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais, avalia que ainda há em Minas Gerais um déficit de educação para o risco do desastre.

 

Origem do aplicativo

O nome Prox se referencia ao programa Proximidade e foi desenvolvido e implantado pela Cemig desde 2005. A tecnologia visa promover a integração com comunidades do entorno de hidrelétricas.

“O mundo moderno exige que, cada vez mais, possamos nos comunicar melhor, ser mais transparentes e dar àquelas pessoas que estão ao nosso redor o conforto, a segurança e as informações que elas necessitam para nos considerar parceiros”, ressaltou o presidente do Conselho Diretor do Ibram, Wilson Brumer.

 

 

Fonte: Agência Brasil