TELEFONE (11) 3666-9893 - Atendimento: 9:00 às 17:00

Parceiros

Embaixada dos EUA alerta para ameaças de segurança no aeroporto de CabulPostado em: 26 de agosto de 2021

O aviso veio enquanto cerca de 1.500 americanos que ainda estão no Afeganistão tentam chegar ao aeroporto para deixar o país antes do prazo de 31 de agosto

A embaixada dos EUA no Afeganistão alertou seus cidadãos nesta quarta-feira (25) para ficaram longe do aeroporto de Cabul e recomendou a todos que estão próximos dos portões de acesso a deixarem imediatamente a região devido a ameaças de segurança não especificadas nos arredores do local.

O aviso veio enquanto cerca de 1.500 americanos que ainda estão no Afeganistão tentam chegar ao aeroporto para deixar o país antes do prazo de 31 de agosto. Dezenas de milhares de afegãos estão acampados do lado de fora do complexo aeroviário em uma tentativa de escapar nos últimos voos.

No comunicado, a embaixada diz para se dirigir ao aeroporto apenas aqueles que receberem instruções individuais de um representante do governo americano. Washington tem avisado constantemente sobre potenciais ameaças no local, e alguns acessos têm sido fechados temporariamente.

Logo após a tomada do poder pelo Tailbã, o aeroporto de Cabul viu cenas de caos, com pessoas invadindo a pista do aeroporto para tentar embarcar nos aviões que partiam –incluindo jovens que caíram de um trem de pouso de cargueiro levantando voo.

Imagens mostram bem menos pessoas agora em torno do aeroporto, sugerindo a eficácia do bloqueio feito por um grupo terrorista colocado para cuidar da segurança da cidade.

Ainda que o governo americano fale em 1.500 de seus cidadãos a serem evacuados, o número ainda é incerto. O presidente Joe Biden havia dito em entrevista que ninguém seria deixado para trás e que poderia estender o prazo de 31 de agosto para retirada.

Após ameaças do Talibã e alegando risco de atentados do Estado Islâmico, no entanto, o democrata manteve o limite para a retirada com o uso dos cerca de 6.000 militares ainda na capital –mesmo eles já começaram a deixar o país também.

O grupo fundamentalista islâmico, por outro lado, afirmou que irá permitir que afegãos que se considerem sob risco e ocidentais que tenham perdido o prazo de 31 de agosto para deixar o país asiático o façam depois, por meio de voos comerciais –que não têm ocorrido desde que o Talibã tomou Cabul.

Nesta quarta, o secretário de Estado americano, Antony Blinken, afirmou que os EUA dariam apoio a quem precisasse de ajuda para sair depois. Segundo ele, já foram retirados 88 mil civis do Afeganistão desde a noite de 14 de agosto, véspera da iminente queda de Cabul, a maioria por meio de voos militares americanos.

 

Fonte:  O tempo