TELEFONE (11) 3666-9893 - Atendimento: 9:00 às 17:00

Parceiros

Grupo Anonymous ataca empresas a favor da CispaPostado em: 13 de abril de 2012

Depois de prometer uma nova onde de ataques a sites do governo chinês para chamar a atenção para a violação de direitos humanos e denunciar casos de corrupção, o Anonymous assumiu a responsabilidade por ataques ao site de empresas de tecnologia que apoiam uma legislação de segurança digital que pode ser aprovada nos Estados Unidos. Os sites da USTelecom e da Tech America, apoiadores do Ato de Proteção e Compartilhamento de Inteligência Cibernética (Cispa, na sigla em inglês), ficaram inacessíveis durante quase toda a segunda-feira, 9, devido a ataques de negação de serviço. A Cispa, que tramita no Congresso norte-americano desde o ano passado, pode aumentar o poder de vigilância de agências do governo sobre redes sociais privadas e a troca de informações entre governo e empresas com propósitos de melhor conter ataques hackers. As críticas à lei dizem respeito a possíveis violações de privacidade e à criação de um “estado Big Brother”, onde cidadãos poderiam ser facilmente vigiados. Alguns até mesmo associam a legislação às leis antipirataria Sopa e Pipa discutidas em 2011. A USTelecom e a TechAmerica, dizem, no entanto, que o fato de terem sido atacadas confirma a necessidade da aprovação de uma legislação mais abrangente sobre ataques online. “Ao usar um ataque online como forma de coagir, intimidar e sufocar o discurso, os membros do Anonymous estão agindo contra todas as liberdades e normas da internet que eles defendem”, disse Walter McCormick, CEO da USTelecom em nota. Uma petição online contra a aprovação da Cispa que já conta com mais de 600 mil assinaturas pede que os membros do Congresso dos EUA desistam do projeto, por “Nossa democracia e liberdades civis estão sendo ameaçadas pelos poderes excessivos e desnecessários de vigilância da internet garantidos por essa lei”.