TELEFONE (11) 3666-9893 - Atendimento: 9:00 às 17:00

Parceiros

Perfil do Twitter revela pontos onde agentes da CET usam radares para flagrar motociclistas acima da velocidade em São PauloPostado em: 8 de maio de 2012

A fiscalização do trânsito com radares-pistola mal começou e os equipamentos já se tornaram alvo do Twitter da lei seca. Criado especialmente para avisar os motoristas sobre a localização das blitze que flagram condutores embriagados em São Paulo, o perfil no microblog passou a alertar também onde estão os agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Segundo o administrador de empresas e proprietário da página no Twitter, que prefere se identificar apenas como Murilo, de 30 anos, os seguidores estão sendo informados onde os marronzinhos estão escondidos hora a hora. “Qualquer fiscalização obscura será denunciada, pois entendemos que a multa deve ser o último recurso e sequer uma campanha educativa foi feita antes de se colocar os radares-pistola nas ruas”, diz Murilo. Atualmente, a página direcionada às blitze da Polícia Militar tem mais de 50 mil seguidores. “Prestamos inúmeros serviços de utilidade pública. Informações sobre o trânsito, acidentes, condições das estradas, alagamentos, semáforos quebrados, falhas em trens e metrô, queda de árvores, falta de luz, vazamentos de gás e até assaltos”, afirma. A fiscalização dos radares-pistola começou no mês passado e tem como prioridade identificar motocicletas rodando acima do limite de velocidade permitido. Geralmente, os marronzinhos ficam sobre pontes e viadutos. Os flagrantes ainda serão processados e se transformarão nas primeiras multas aplicadas pelo modelo de aparelho na capital. Quando lançou o projeto, a CET justificou que, com isso, seria possível reduzir as mortes envolvendo motos. Em nota, a CET informou que a fiscalização com seis radares-pistola está sendo realizada em 65 pontos da capital em sistema de rodízio. Esses equipamentos registraram 9.344 flagrantes de motociclistas que excederam o limite de velocidade, no período de 26 de março, quando iniciou a fiscalização  até 26 de abril.