Outros tipos de dados comercializados incluem informações de cartões de crédito, cópias de passaportes e credenciais de contas bancárias, também a aponta a pesquisa. Essas descobertas trazem mais dúvidas em relação às políticas do aplicativo, que já foi alvo de críticas no passado por ser menos firme com esse tipo de conteúdo ilegal.

Em nota, o Telegram disse que “tem uma política para remover dados pessoais compartilhados sem consentimento” e que, a cada dia, sua “equipe cada vez maior de moderadores profissionais” remove mais de 10.000 comunidades públicas por violações de termos de serviço após relatórios de usuários.

 

Fonte: Defesa em Foco