TELEFONE (11) 3666-9893 - Atendimento: 9:00 às 17:00

Parceiros

Vigilância cresce, apesar de reconhecimento facial ser ineficaz no combate ao crimePostado em: 27 de julho de 2020

De acordo com a Electronic Frontier Foundation, mais de 5.300 pontos de monitoramento foram implementados pela polícia; tipo de vigilância muda conforme ‘status social’ da localidade

 

Mesmo que recursos como o reconhecimento facial sejam comprovadamente ineficazes para combater crimes na opinião da própria polícia, um mapa disponibilizado pela ONG aponta 5.300 pontos, com 12 tipos diferentes de monitoramento: leitores de placas, reconhecimento facial, simuladores de sites de celular e drones.

Os recursos de monitoramento, curiosamente variam de acordo com cada região. Separadas em 12 categorias diferentes de monitoramento, as câmeras em anel, por exemplo, são muito usadas nos subúrbios de Chicago e Dallas. Já os leitores de placas são populares nas áreas urbanas; áreas rurais parecem favorecer o uso de drones.

O estudo ressalta que o mapa não possui um panorama completo de todos os locais em que estão sendo monitorados o tempo todo, mas os lugares onde essas tecnologias estão em uso. É possível supor que os dados refletem apenas um conjunto de informações que os departamentos de polícia optam por acumular até que o governo local revogue essa decisão.

Atualmente, a maioria dos estados não possuem leis que regulamentam o uso desses dados e o uso do reconhecimento facial. Ainda este ano, gigantes da tecnologia como a Microsoft, IBM e Amazon abandonaram ou congelaram seus respectivos projetos em reconhecimento facial alegando preocupações com liberdades civis.

 

Fonte: Olhar Digital